Posts Tagged ‘Pathfinder Tales’

Este livro foi o meu primeiro contacto com as “Pathfinder Tales” que, como o nome indica, retractam aventuras situadas no mundo de Golarion, um setting de jogos de roleplaying bastante famoso – a sua história é interessante já que a editora aproveitou o mercado deixado pelos jogadores de Dungeons & Dragons que ficaram extremamente desiludidos com a quarta edição (nos quais me incluo) mas quem se sentir interessado pode facilmente pesquisar o enorme universo dos produtos da Paizo. Escolhi este volume ao acaso já que os livros desta série não são sequenciais e o nome parecia até apelativo. Seguimos uma das aventuras de Salim Ghadafar um investigador da Igreja da deusa da morte, Pharasma, que é destacado para os casos mais complicados que esta congregação enfrenta. Uma alma foi roubada à deusa e os raptadores exigem um resgate fabuloso por parte da família da vítima, o elixir de prolongamento da vida. Este elixir é produzido de forma secreta de 5 em 5 anos e é aberta uma licitação por parte de todos os que procuram prolongar a sua vida, desta vez foi o mercador assassinado o escolhido mas alguém se adiantou e não só pôs termos à sua vida como impediu a sua alma de prosseguir para o além. Caberá ao nosso estóico herói e a Neila Anvanory (filha da vítima) deslindar o que se passou e quais dos muitos inimigos é responsável por esta tragédia.

O jogo no qual se baseiam esta série de livros de ficção - recomento vivamente.

O jogo no qual se baseiam esta série de livros de ficção – recomento vivamente.

Em primeiro lugar é destacar que não se deve ir para livros baseados em jogos de roleplaying com demasiadas expectativas. Na maior parte dos casos são orientados para um público Young Adult pelo que muitas vezes as personagens ficam demasiado simples e desinteressantes, o que em certa medida sucede com esta história. Salim é um personagem bastante complexo para o que é normal neste género de livros, um ateu que rejeita que os deuses devam ser adorados (apesar de admitir a sua existência) que serve uma religião dedicada ao culto da morte e profecia. A sua biografia pouco habitual é bem interessante e vai sendo revelada à medida que o livro avança de forma bem medida revelando uma personalidade coerente e consequente. O problema são as outras personagens. São muito menos cuidadas ao ponto da sua companheira de viagem, a filha do mercador, ser apenas um acessório, um conjunto amorfo de traços que servem apenas para proporcionar momentos de interacção com o protagonista. O Vilão é outra desilusão já que depois de desmascarada a conspiração percebemos que tudo foi relativamente simples e que todo o processo investigativo foi apenas uma forma simpática que James Sutter arranjou de nos mostrar vários ambientes mágicos mais estranhos polvilhados com encontros com criaturas que servem para criar momentos de combate (algo vital no género Sword & Sorcery).

Uma capa com arte de qualidade, algo a que Paizo já nos habituou em quase todos os seus produtos

Uma capa com arte de qualidade, algo a que Paizo já nos habituou em quase todos os seus produtos

O que me pareceu interessante neste livro (e promissor para os seguintes) é o facto da Paizo claramente ter quebrado o molde tradicional que os livros do universo Forgotten Realms tinham criado. Há temas adultos, há algum sexo mais ou menos gratuito e existe mesmo alguma maturidade na escrita o que coloca esta obra alguns degraus acima de um livro de fantasia pueril. Apesar de alguma artificialidade das interacções o ritmo a que a acção se desenrola assegura que o leitor não se irá aborrecer durante muito tempo. Penso que é um excelente livro de verão, com muita acção e um história fácil de acompanhar que com certeza irá agradar aos devotos do género, fiquei curioso por voltar a visitar Golarion através de outros livros da série.

Nota: 7/10

Anúncios